Spectrum

 

 

SPECTRUM

2013 – 2014

 

Projecto Audiovisual que parte do conceito de alegoria para questionar a imagem enquanto ausência/presença, sombra e vestígio de um corpo projectado num ecrã – espelho, tela ou parede – que o revela ou esconde

Eis-me pois eu próprio como medida do «saber» fotográfico. O que sabe o meu corpo da Fotografia? Notei que uma foto pode ser o objecto de três práticas (ou de três emoções, ou de três intenções): fazer, experimentar, olhar. O Operator é o Fotógrafo. O Spectator somos todos nós que consultamos nos jornais, nos livros, álbuns e arquivos, colecções de fotografias. E aquele ou aquilo que é o fotografado é o alvo, o referente, uma espécie de pequeno simulacro, de eidôlon emitido pelo objecto, a que poderia muito bem chamar-se Spectrum da Fotografia, porque esta palavra conserva, através da raiz, uma relação com o «espectáculo» e acrescenta-lhe essa coisa um pouco terrível que existe em toda a fotografia: o regresso do morto.

– Roland Barthes, A Câmara Clara (2014), p. 17

 

website: http://cargocollective.com/alexandrealagoa

outros projetos

pesquisar